Cambio

Já falamos aqui mesmo no blog sobre como o dólar alto não é problema para o importador, desde que ele se atente e busque sempre a ajuda de um profissional de comércio exterior, clica aqui para conferir.

Mas não podemos deixar de alertar sobre os cuidados necessários para o importador ou exportador quando falamos da instabilidade da moeda, seja dólar ou euro.

No Brasil, as taxas de câmbios são bem regulamentadas pelo nosso Banco Central e isso traz para o comerciante internacional algumas garantias financeiras para capitalizar melhor sua operação. E falaremos mais sobre essas garantias nos próximos artigos, fique ligado.

Na primeira olhada, sempre pensamos que o preço alto ou indefinido do dólar e euro é ruim para o importador e ótimo para o exportador, já que quem vende para fora recebe em dólar e faz o câmbio para real, tendo assim uma baita lucratividade. Enquanto o importador vê a flutuação da moeda consumir toda sua margem de lucro.

Porém, na realidade, o que acontece é ruim para todas as partes do comércio exterior. Claro, o importador sente de imediato, porém pode usar de táticas para minimizar os danos, seja comprando apenas parte de um contêiner com outros importadores ou até elevando o preço final do produto (o que não é recomendável, mas não deixa de ser uma opção).

Já o exportador se vê preso ao fato de que a indefinição no valor final da moeda faz com que o comprador externo fique receoso quanto ao fechamento, o que acarreta num atraso do processo. Até porque, com um sobe e desce diário fica difícil estabelecer um padrão, uma vez que qualquer operação de comércio exterior leva em média 10 dias para ser concluída, muito por conta de documentações e liberações que falamos aqui e aqui.

O cenário ideal, principalmente para o importador, seria que a cotação da moeda não sofresse com flutuações tão bruscas em seu valor, pois isso pode representar um prejuízo de milhares de reais na transação. Uma previsibilidade de como irá se comportar a taxa do câmbio ajuda o operador a se planejar melhor quanto aos custos envolvidos assim otimizando sua lucratividade.

Mas, como dissemos no artigo sobre o dólar, a instabilidade não é motivo para parar de importar e exportar, é simplesmente um cuidado a mais que precisamos ter na hora de fazer as transações.

Por isso é sempre importante ressaltar que o relacionamento com comprador ou fornecedor é importantíssimo para que a resolução do contrato de câmbio seja mais benéfica possível. Também temos um artigo que aborda um pouco o assunto, que você confere clicando aqui.

E trazendo para nossa expertise, a experiência diária com comércio exterior, nos proporciona competência para atenuar a alta do dólar e euro. O despachante aduaneiro, como nós aqui da Samerica Trade, vive diariamente a flutuação do câmbio, então temos o know how para saber quando vale a pena agir ou aguardar melhora.

Portanto, em tempos de instabilidade na cotação do dólar e euro, mais do que nunca a figura do profissional de comércio exterior se faz imprescindível para o empreendedor que visa navegar nas águas do trade internacional.

Não deixe de acompanhar nosso blog e assinar nossa newsletter para estar sempre por dentro das notícias e recebendo dicas para entrar ou melhorar seu desempenho no comércio exterior.

CLOSE
CLOSE