Exportação Navio Novo

Nos últimos artigos você viu (se não viu clique aqui e aqui) os principais tributos e conceitos para começar a importar.

Ficou bem claro que não é um processo complicado se você souber o que fazer, mas não deixa de ser burocrático.

Na exportação funciona de maneira um pouco diferente. O nosso Governo, como forma de estimular a economia, faz com que seja bem menos complicado exportar.

E nesse artigo, vamos te mostrar a documentação envolvida neste processo que será fundamental para você se familiarizar com esse mundo da exportação.

 1 – Fatura Proforma

É o primeiro documento que sua empresa envia ao comprador. Ele descreve a oferta, informa o que está sendo transacionado, preços e formas de pagamento.

Essa Fatura Proforma é importante, pois ela funciona até como uma espécie de contrato, já viabilizando a troca comercial.

2 – Fatura Comercial

Sua função é concretizar a venda que ocorreu. Deverá conter todas as informações que foram acordadas com o comprador. É emitida preferencialmente em inglês, ou no idioma do país comprador e, deve ser assinada pelo exportador.

Mal comparando, é como uma nota fiscal internacional.

3 – Packing List

Também chamado de romaneio, é a documentação que especifica o que será transportado.

Peso, dimensão, volume, tudo isso vai detalhado neste documento, que auxilia o importador a tomar decisões logísticas que vão desde a escolha do modal de embarque, até a maneira como a mercadoria será recebida em suas instalações.

4 –  Nota Fiscal de Exportação

Bem parecida com a nota fiscal comum, é ela quem certifica a validade da sua transação, junto ao Portal Único de Comércio Exterior.

Neste novo processo, apenas com o número da chave, você já consegue emitir a Declaração Única de Exportação.

5 – Instrução de Embarque

Trata-se de um formulário, que resume dados da empresa que está enviando e da que está recebendo, bem como a sequência dos processos.

Não existe um padrão correto, normalmente cada empresa monta esse formulário de acordo com as necessidades do que está sendo vendido. No entanto, alguns elementos são comuns à maioria.

6 – Conhecimento de Embarque

Nada mais é que um documento detalhando tudo que será transportado, e é emitido pelo agente ou companhia transportadora.

Com estas informações, a transportadora conseguirá reservar o espaço necessário para embarcar a mercadoria no meio de transporte escolhido (avião, navio ou caminhão).

O conhecimento de embarque, B/L, AWB ou CRT, é o documento que confere a posse da mercadoria ao importador e, deve ser conferido e, emitido com o máximo cuidado.

Por tudo isso, é importante que seja feito com antecedência.

7 – Declaração Única de Exportação

Encaminhando para os últimos passos do processo, a Declaração Única de Exportação requer um registro no Portal Único de Comércio Exterior para confirmar a transação.

Não é obrigatório mas é comum que essa etapa seja feita por um despachante aduaneiro. Por ser uma etapa mais técnica, é recomendável este auxílio.

8 – Averbação de Embarque

É a confirmação de saída da mercadoria do país.

Após a saída da carga, caso o embarque não tenha sido fracionado, a averbação de embarque é feita automaticamente pelo novo sistema de exportação.

Vimos que estes são os documentos essenciais para realizar o processo de exportação. No entanto, cada mercadoria tem suas particularidades e, as necessidades do importador devem ser consideradas antes do início da transação.

Conte conosco para tirar suas dúvidas e fique atento pois toda semana temos algum conteúdo que vai te ajudar a sair do escuro no mundo do comércio exterior.

Assine nossa newsletter para não perder as novidades que estão chegando.

CLOSE
CLOSE