Importação Vs Exportação

Quando falamos de comércio exterior o mais comum é pensar na importação, uma vez que no mundo tecnológico de hoje em dia, muitas coisas que utilizamos podem ser ou já são importadas, grande parte na China.

A globalização e a internet propiciaram fenômenos como Ali Express, Gear Best e Ali Baba, que inseriram a importação no nosso cotidiano de forma bem simples.

Em se tratando de pessoa física é realmente bem mais fácil importar algo do que exportar, mas quando levamos isso para o cenário de empresas, a coisa muda de figura.

Tanto exportar como importar, passa por uma série de burocracia e taxações, que já explicamos em outros artigos, que você confere clicando aqui, aqui e aqui.

Se na pessoa física é melhor importar do que exportar, como funciona para pessoa jurídica? É sobre isso que vamos falar agora:

Diferenças

Na teoria, não tem tanta diferença, as burocracias e documentações são parecidas e em ambos os casos você vai passar por intermediários aduaneiros. Na prática, aqui no Brasil dependendo do estado em que sua empresa está estabelecida, algumas isenções podem ser aplicadas na hora da importação como falamos no texto sobre Regimes Aduaneiros Especiais.

Quanto à exportação, como forma de incentivo, o Governo Federal dispõe de alguns artifícios para acelerar ou mesmo facilitar o processo.

Aqui mesmo no blog tem esse artigo que te mostra alguns passos para começar exportar, vale a pena conferir.

Por fim, as diferenças em si, vão depender muito do seu segmento de atuação, pois a importação pode levar muito tempo devido ao processo burocrático, no entanto a exportação pode ser mais rápida porém depende da aquisição de bons parceiros internacionais.

Para ajudar com isso, temos dois artigos que fala um pouco sobre Parceiros e prospecção de clientes no exterior.

 

Vantagens

Por mais que seja repetitivo, as vantagens também vão depender do seu segmento de atuação e do mercado em torno dele.

O conceito de oferta e demanda é um dos mais antigos do mundo, porém é extremamente eficaz para guiar os seus processos comerciais.

Partindo do pressuposto que sua intenção é uma alavancagem de receita, e visto os incentivos fornecidos, talvez seja melhor exportar o seu produto e assim aumentar suas vendas de forma considerável.

Mas aí que pode estar o perigo. Antes de tudo é necessário entender se o mercado externo tem demanda para absorver seu produto ou se seus concorrentes já não entregam algo semelhante de maior ou igual valor e menor preço.

Se pesquisando o mercado à ingressar e tendo a consultoria de um profissional de comércio exterior, você identificou demanda e possíveis clientes, viu que seu produto tem potencial para performar melhor que a concorrência e seu estoque tem capacidade, realmente a vantagem é exportar.

Agora, se seu produto já vende bem o suficiente no mercado interno, tem público estabelecido local, mas não tanta força para ir bem oceano à fora, importar pode trazer mais vantagens.

Falamos muito disso aqui, com consultoria profissional de comércio exterior, você pode descobrir formas de importar com preço menor e assim poder melhorar seu produto e até diminuir o custo de produção dele. E se estamos falando de alavancagem de receita, diminuir custo de produção afeta diretamente a margem de lucro e isso sim é muito vantajoso, uma vez que você já possuiu clientes e não vai precisar fazer esforços e investimentos para conquistar novos mercados.

No fim das contas, vale a pena tanto importar quanto exportar, a questão é o que você precisa no atual momento de sua empresa. Uma vez estabelecida uma conexão com o mercado de fora, é uma via de mão dupla que se abre e você poderá se beneficiar de ambas as operações.

Se você está em dúvida entre importar ou exportar, a dica é: Busque aprender mais sobre o assunto, encontre um parceiro experiente na área de comércio exterior e vá para o jogo. Começando a fazer é que vai trazer a claridade do que será melhor para seu negócio.

CLOSE
CLOSE