Saida

“É obvio”, você deve estar pensando, exportação é a saída de produtos daqui do Brasil para outros países.

Sim, mas vai além, por isso o trocadilho no título.

Recentemente temos falado muito sobre o assunto, nos nossos posts sobre a DU-E (clique aqui e aqui), sobre DUIMP (clique aqui) e até sobre os documentos da exportação (clique aqui), enfim, aqui no nosso blog tem uma série de artigos sobre como a exportação tem se tornado lucrativa recentemente.

E não por acaso, o mercado também tem se mobilizado e entendido cada vez mais que no atual cenário político-econômico, exportar pode sim ser uma ótima saída para o empresário.

Em meados do mês de maio (de 2019), o dólar chegou a marca de R$ 4,10 e segundo os especialistas não parece que vá abaixar tão cedo. Fato que foi um balde de água bem fria nos importadores, que enxergam seus ganhos diminuindo no médio prazo.

Mas é claro, que para a exportação a notícia chega trazendo uma carga de otimismo em relação aos negócios que serão realizados internacionalmente.

A procura de empresas pelo mercado de exportação já vem aumentado, e se você ainda tem receio sobre o assunto, talvez não teremos um momento tão propício quanto esse para ingressar nesse universo.

Quanto as burocracias, temos falado muito sobre isso nas últimas semanas, desmitificando um pouco um processo que é sim cheio de detalhes e particularidades, mas quando bem feito, muito rentável, ainda mais nesse cenário de economia interna paralisado.

Nós, da Samerica Trade, estamos sempre atentos a essas movimentações de mercado, para justamente oferecer uma entrada menos turbulenta e mais rápida as atividades de comércio exterior.

O mercado internacional é um organismo vivo, impactado por fatores desde geográficos até políticos. Uma tempestade mais forte que atinja um porto ou um simples adendo as legislações vigentes, pode significar um atraso na entrega de uma mercadoria o que por si só já representa um baita prejuízo.

É importante enxergar que a importação e exportação são “irmãs” que as vezes se revezam no protagonismo, como é o caso agora, mas que muitas vezes estão coexistindo em patamar parecido. Por isso, a dica é não se definir como uma importadora ou exportadora apenas, o ideal é montar uma estrutura que lhe permita capitalizar o máximo de uma situação de mercado. A busca de parceria com um profissional de comércio exterior é um atalho imprescindível para toda empresa que já opera ou quer iniciar nesse negócio.

Portanto, apesar das dificuldades econômicas, não estamos em um beco sem saída, a solução é ir para fora.

Para fora do país, de preferência.

CLOSE
CLOSE