Vamos a segunda parte do nosso artigo com o passo a passo da importação, se ainda não viu a primeira parte, é só clicar aqui.

Continuando de onde paramos, depois que você já sabe o que vai importar e tem certeza que há um público consumidor é hora de seguir para o próximo passo:

3 – Como eu trago esse monte de produto para cá?

Essa pergunta já foi respondida no nosso artigo sobre modais de transporte, mas vamos refrescar sua memória para ajudar a entender as opções disponíveis.

Considerando que você seja um iniciante na importação, já podemos descartar o modal aéreo, que consiste em trazer a mercadoria em um avião, esse é o método mais rápido e também o mais caro.

O mais famoso, é o marítimo, feito através daqueles grandes navios cheio de contêineres coloridos, cujas imagens servem para ilustrar sempre que falamos de comércio exterior. Essa modalidade é a de melhor custo benefício, pois alia a capacidade de trazer volumes com o custo relativamente bom, tendo ainda a opção de importar container compartilhado com até oito empresas.

Os outros modais, vão funcionar para você, caso sua ideia seja ficar no continente, pois tanto o rodoviário quanto o ferroviário dependem das estradas e ferrovias para sua execução. No caso da América do Sul, a malha ferroviária não é tão ampla quanto poderia, por isso, para países vizinhos, a modalidade rodoviária acaba sendo a mais comum. Você já deve ter ouvido história de pessoas que vão de carro ao Paraguai buscar produtos à preços bem menores para revender. Essa forma de importação é mais utilizada por pessoas físicas, que passam a fronteira com volumes pouco expressivos de mercadoria, para empresas que queiram importar de lá, estarão sujeitas a toda regulamentação necessária, porém terá a possibilidade de trazer um volume muito maior de produto, reduzindo assim o preço unitário.

Por isso é importante a sua pesquisa prévia para escolher o produto ou insumo adequado e verificar quais países possuem a melhor oferta. Não se engane, às vezes o mais perto não signifique o melhor custo benefício para o seu negócio.

4 – Como acho um bom vendedor internacional?

Talvez tenha surgido a dúvida: não é melhor eu achar um vendedor para depois descobrir como transportar? E se o item 3 não deixou claro, vamos reforçar aqui.

Tudo parte do quanto sua empresa tem para investir, por isso esse planejamento prévio é tão fundamental. Cada modo de transporte envolve uma burocracia com custos diferentes, por isso é importante entende-los primeiro, para poder decidir em qual federação você irá buscar um parceiro.

Se todos os passos anteriores estiverem bem definidos, esse último é o mais simples. O truque está em encontrar mais do que um possível parceiro para aumentar seu poder de barganha. Falar a língua do país destino também é um diferencial importante para bons negócios, bem como entender um pouco da cultura, como a China por exemplo, que tem várias peculiaridades que dissecamos em alguns artigos, saber essas coisas de proporciona alguma vantagem, mas não que você precise aprender mandarim para negociar com os chineses, um nível alto de inglês já vai te deixar apto a transacionar.

No mais, temos esse artigo que fala mais sobre conseguir bons prospectos e bons parceiros internacionais.

Enfim, acreditamos que com esse planejamento de 4 passos, você já consiga entender melhor como se comporta o mundo do comércio exterior. Você empresário sabe, que como todas as coisas no meio do empreendedorismo o sucesso vem de um bom planejamento, bom networking e capital para investir. Tem também um componente que acelera tudo isso e minimiza erros, que é o conhecimento, e isso temos de sobra aqui na Samerica Trade, então se quiser se aprofundar e ingressar mais seguro no comex, conheça nossa assessoria especializada.