Modal

Quando falamos de importação e exportação, aquela imagem do navio cheio de contêineres é a primeira que vem a nossa cabeça, mas apesar de um símbolo forte, a modalidade marítima não é a única disponível para transações internacionais.

Existem outras modalidades de transportes no comércio exterior que no caso, são conhecidas por modal dentre os profissionais da área.

A definição de qual modal será usado no processo, é decidida na negociação entre as partes e envolve muito o Incoterms, tema que nosso colaborador Rafael tem destrinchado com muito talento na sua série, que você pode conferir clicando aqui.

Mas antes de definir qual modal será empregado na transação, é importante entender quais são as possibilidades e como cada uma se encaixa para determinado produto. Os modais são: Aéreo, marítimo, rodoviário e ferroviário, e abaixo vamos entender as características de cada um.

Aéreo: esse modal é perfeito para o transporte de cargas urgentes, pois a velocidade é disparada a maior entre os modais, no entanto, não é ideal para produtos grandes, não comporta muitos volumes e ainda tem um custo bem alto. É mais indicado para transporte de pequenos bens com alto valor atrelado.

Marítimo: o mais conhecido de todos, praticamente um ícone do comex, esse transporte é ideal para grandes volumes e cargas muito pesadas, trazendo ainda a possibilidade de compartilhar com outros importadores (falamos mais sobre isso aqui) devido à grande capacidade de armazenamento dos contêineres desse modal. Por conta disso, é relativamente mais em conta porém bem mais lenta. É uma modalidade de transporte que exige um certo planejamento de estoque e logística, pois não permite uma frequência alta de transações.

Rodoviário: isso mesmo, trânsito pelas estradas. Quando pensamos em comércio exterior, China, Europa e mundo árabe são as primeiras imagens a saltar a nossa cabeça, o que é muito compreensível por serem os maiores da área, mas não podemos esquecer dos países do Mercosul que estão constantemente fazendo negócios com o Brasil.
Muitas dessas transações são feitas via caminhões pelas nossas rodovias, até porque nosso país faz fronteira com quase todos os países da América do Sul. O modal rodoviário é bem rápido, cria a possibilidade de entrega porta a porta e pode ser feito numa boa frequência. Por outro lado, não comporta tanto volume quanto a marítima e obviamente tem uma limitação geográfica considerável.

Ferroviário: onde os caminhões não chegam tão facilmente, acredite se quiser, ainda temos os trens. Principalmente no nosso continente, temos muitas ferrovias entre países o que permite um bom trafego de cargas. Esse modal é ótimo, pois também comporta grandes volumes e tem uma boa frequência, garantindo rapidez nas entregas. Seu custo benefício é muito bom, e é comumente utilizado para o transporte de commodities. De ponto negativo, assim como o rodoviário, essa modalidade de transporte tem limitações geográficas.

Portanto, essas são as modalidades de transporte do comércio exterior, todas com suas vantagens e desvantagens, cabe a você entender o estágio que sua empresa se encontra e analisar as características da mercadoria que você deseja importar ou exportar.

E para não fazer a escolha menos rentável, é importante contar com o auxílio de um profissional de comércio exterior experiente, pois esse saberá qual modal te trará mais agilidade e lucro.

CLOSE
CLOSE