Logística em sua essência, tem a ver com um planejamento antecipado e estratégico, a fim de garantir o translado de uma pessoa ou objeto do ponto A ao ponto B da forma mais adequada e rápida possível.

Como diz aquele velho jargão, a menor distância entre dois pontos é uma linha reta, mas quando falamos de comércio exterior, estamos falando de uma linha cheia de intermediários tornando o caminho mais penoso e burocrático.

Por isso que tudo começa com um bom fornecedor, que disponibiliza mercadoria de qualidade no tempo certo, e de um bom comprador, que  garante os melhores preços e condições de pagamento, porém, na hora da mercadoria entrar ou sair do país, ai é onde as coisas podem ficar lentas e onerosas. Para contra-atacar esse revés que entre o personagem do nosso artigo de hoje: o despachante.

O Profissional da celeridade, Despachante

Como falamos no nosso artigo sobre o despachante aduaneiro, o despacho aduaneiro é o procedimento fiscal que o exportador necessita para desembaraçar sua mercadoria na origem, feito à partir do registro de exportação deferido. Essa documentação é solicitada junto a Secretaria da Receita Federal via Portal ÚnicoSolicitado esse despacho, a própria Receita Federal indica os demais procedimentos, pois cada mercadoria pode ter especificações técnicas ou necessitar de anuência de algum outro órgão interveniente.

Ou seja, dentro de um processo de comércio exterior, esse participante é responsável pelo desembaraço da mercadoria, seja para entrada ou saída do país. É necessário um grande conhecimento da legislação aduaneira para que possa exercer essa função na sua plenitude de segurança e agilidade.

Hoje em dia, existe a facilidade proporcionada pelo Portal Único, onde grande parte do processo burocrático transcorre de forma digital, já trazendo certa agilidade ao processo. Contudo, algumas coisas dependem da vivência diária do comércio exterior, para que possam ser feitas de forma mais agilizada.

Para isso, o profissional de comércio exterior, nesse caso o despachante aduaneiro, vai poder usar da experiência para de antemão ter as liberações bem encaminhadas, diminuindo o risco de sua carga ficar presa nos portos.

Voltando ao que falamos no início, logística tem a ver com segurança do translado e principalmente velocidade, e principalmente no mundo do comex, economizar tempo é economizar dinheiro. Por exemplo, armazenagem é um dos maiores custos num processo de importação ou exportação, e quanto mais sua empresa fica amarrada em burocracias, mais os dias vão passando e a conta da armazenagem subindo.

Por isso, a dica é que no seu processo logístico você tenha bem definido desde o início os participantes de cada etapa. Recapitulando: tenha um ou mais fornecedores competentes e confiáveis, um comprador hábil e um despachante muito experiente.

Um time desses bem montado e estruturado, é a chave para navegar no comércio internacional tendo os menores riscos possíveis.

E para montar esse time, semana que vem traremos o último jogador, o transporte. E para saber mais sobre cada um desses participantes e como encontra-los no mercado, fale com nossa assessoria especializada e experiente em comércio exterior.