Toda empreitada no mundo do comércio exterior vem acompanhada do desejo em aumentar os lucros do seu negócio. Mas como fazer isso de uma forma que seja realmente vantajosa e não apenas ficar num empate técnico?

É isso que vamos falar nesse artigo.

Começando com a importação, nos dias de hoje a relação comercial com a China tem sido excelente, ainda mais se beneficiando da atual guerra comercial com os EUA que falamos na nossa newsletter e você pode ver clicando aqui.

Aproveite para assinar a nossa newsletter e não perder as novidades.

Seguindo nessa linha, é importante salientar que para falarmos de lucros expressivos com importação empresarial, estamos falando de valores altos, por isso é importante ter um caixa robusto para poder ser competitivo nesse mercado. O ganho maior nesse cenário vai sempre estar no volume, esse que garante uma margem valiosa para o importador.

Em média, um container completo gira em torno de 80 mil reais, considerando despesas fixas, taxas e impostos. Mas não se assuste com os números, a saída para muitas empresa é dividir os custos importando o chamado container consolidado, onde os espaços podem ser divididos para até 5 importadores. Isso garante um volume de produtos razoável e um custo mais acessível.

Na média das empresas de e-commerce estabelecidas que importam da China, o lucro é de 30% considerando a importação do contêiner completo. Para empresas físicas o lucro pode chegar aos mesmos 30%, mas considerando demais custos com impostos, estocagem e afins, o preço final que chega ao consumidor eventualmente será maior para equilibrar.

Fato é que, existem muitas variáveis nesse caminho, aqui estamos abordando situações ideais para um melhor desempenho. Para replicar isso na realidade é importante ter um acompanhamento de um profissional de comércio exterior para tirar o máximo dessas transações.

Agora, falando de exportação, o cenário é diferente pois a parte fundamental para obter lucros é formatando um bom preço.

Se seu produto já é vendido no mercado interno, é só uma questão de ajuste matemático. Primeiro passo é retirar do custo todos os impostos que incidem no Brasil, uma vez que não será aplicado na exportação. Dependendo da negociação, custos de distribuição e logística também não entram na equação,  isso já te garante uma boa margem para venda externa.

Outro fator importante é o dólar e a conversão. A cotação da moeda é fundamental na hora de formatar o preço do seu produto. É uma desatenção comum que pode mitigar seus lucros.

Isso nos leva a ação principal que é a pesquisa.

Duas coisas para buscar antes de exportar são: concorrentes e incentivos.

O primeiro é importante, uma vez que o preço praticado por ele pode ser a maior vantagem caso seja mais elevado que o seu. Caso não haja concorrentes no mercado do país que vai exportar, procure se não há nenhum produto substituto, que faça a mesma função que o seu, e também se não existem outros exportadores competindo pelo mesmo público que você.

O segundo são os incentivos fiscais do país que vai receber sua mercadoria, a princípio isso pode parecer um problema exclusivo do importador, mas ter informações sobre isenções ou incentivos, pode refletir no seu preço, aumentar sua margem sem prejudicar o importador e o cliente final.

Contudo, apesar de poucos passos a seguir, quanto mais dados sobre o mercado externo você conseguir vai ser determinante para seu lucro, seja importando ou exportando. Nessa hora o auxílio de um profissional de comércio exterior é o atalho perfeito, uma vez que já possuem todo esse know-how de antemão.

Experiência é o maior diferencial que você pode ter nessa competição.

WhatsApp chat