Nas últimas semanas você viu a diferença entre importar e exportar, e hoje, para fechar com chave de ouro, vamos adentrar no assunto e descobrir as vantagens e desvantagens de cada atividade.

Vantagens e Desvantagens

Importação:

Nenhum país é autossuficiente em recursos, seja por seu tamanho, clima ou mesmo expertise profissional, alguma demanda sempre vai faltar, seja por limitações de matéria prima ou por ser inviável financeiramente de se produzir em solo nacional. Ai que entra a importação, para dar conta desses insumos e manter a economia e o progresso de uma nação alinhados com o resto do mundo.

Por exemplo, aqui no Brasil, nós importamos muitos componentes eletrônicos vitais para o funcionamento dos nossos equipamentos de tecnologia, pois nossa produção nacional é insuficiente, e os produtos importados tem um ótimo custo benefício.

Pensando nisso, vamos falar das vantagens e desvantagens de ingressar no comércio exterior através da importação.

  • Vantagem cambial: quando a moeda do país importador está mais valorizada que a do exportador, o custo fica mais em conta, devido ao câmbio vantajoso para quem importa. A desvantagem nesse caso, se dá quando há atrasos na entrega, pois o valor da moeda do importador pode flutuar para cima, e causar prejuízos não antecipados.
  • Incentivos Fiscais: no Brasil principalmente, nosso Governo oferece alguns estímulos para importação de determinados produtos de grande consumo interno, assim, as taxas podem ficar mais em conta. Como desvantagem, podemos apontar que nesses casos de isenções federais, a quantidade a ser importada pode ser limitada e também podem variar de legislação em cada estado. Consulte sempre o órgão regulador do seu estado.
  • Tempo de produção: na grande maioria dos casos, é mais rápido importar um certo insumo, do que produzi-lo em solo nacional, como no caso de componentes eletrônicos que falamos anteriormente. Por isso, muitas vezes o tempo de entrega faz com que seja mais lucrativo importar do que esperar para produzir. As desvantagens que podemos apontar, é que a dependência de um único fornecedor pode se tornar um problema em caso de divergências. A recomendação é sempre possuir mais de um fornecedor, como já falamos aqui no blog.
  • Redução do custo de mão de obra: alguns produtos mesmo sendo produzidos no país, podem consumir mão de obra qualificada, o que naturalmente eleva seus custos. Nesse caso, se a opção importada oferecer um custo benefício maior, é muito mais recomendado que se busque um substituto de fora, assim, você até pode ter que investir mais para trazer um grande volume, porém, no médio e longo prazo a economia com a mão de obra se mostra mais vantajosa.

Exportação:

Na hora de exportar, vale a mesma lógica, pois muitos países não tem condições de produção e vivem basicamente da importação de insumos. Por exemplo, o Brasil exporta muita soja e carne bovina, pois nosso território é amplo e o clima tropical é equilibrado, o que permite que cultivemos grandes plantações e tenhamos criações grandes de gado.

Então, vamos entender as vantagens e desvantagens de ingressar no comércio exterior através da exportação:

  • Maior produtividade em escala: quando um produto ou serviço nacional passa a ser comercializado no exterior com mais frequência, naturalmente o mercado se mobiliza para otimizar a produção como um todo e também para garantir padrões de qualidade. Por isso, quanto mais se exporta algo, mais a sua produção cresce e isso fortalece a economia e o mercado como um todo. A desvantagem é que o retorno financeiro não é tão imediato, pois nas primeiras transações de um produto ou serviço, é mais difícil que se consigam negócios lucrativos. Por isso, é importante ter um capital para produção que possa aguentar o tempo de maturação do produto ou serviço aos olhos do mercado internacional.
  • Redução da carga tributária: a exportação é benéfica para economia do país como um todo, sendo assim, o Governo tem muito interesse em que as empresas exportem cada vez mais, e para incentivar oferece compensações no recolhimento de tributos internos, para que exportar se torne um atividade atrativa para os empresários brasileiros. Mas é importante se atentar ao país de destino, pois culturas diferentes podem exigir um nível de qualidade diferenciados, e a primeira impressão tem que ser agradável, para fidelizar o cliente.
  • Aprimoramento: o mercado internacional tem padrões de qualidade bem estabelecidos, que faz com que a necessidade de exportar produtos bem feitos seja fundamental para fazer bons negócios. Dessa maneira, quanto mais aumentam as exportações, mais as empresas criam formas de melhorarem seus produtos e processos. Um grande pré-requisito para isso é ter entre seus funcionários, pessoas capazes de falar a língua do país destino de forma fluente, pois isso facilita bastante o relacionamento. Não precisamos ressaltar que um bom nível de inglês é obrigatório.
  • Fortalecimento da Marca: uma empresa que se consolida na exportação, automaticamente passa a ser muito bem vista no mercado interno. Isso agrega para marca e a coloca num padrão de excelência que é percebido muito mais facilmente pelo mercado nacional.

Contudo, apesar de vantagens e desvantagens diferentes, ambas atividades precisam ser feitas com seriedade e com auxílio de profissionais de comércio exterior especializados. Seja importar ou exportar, se você pretende colocar sua empresa para negociar no mercado exterior, certifique-se de se proteger e de entender bem o que está fazendo. Uma experiência ruim pode trazer prejuízos não apenas financeiros, mas de imagem, e esse segundo é muito mais difícil de ser restaurado.

Conheça a assessoria especializada da Samerica Trade, temos experiência e conhecimento mais do que suficiente para tornar sua empreitada no comércio exterior muito mais fácil e rentável.

WhatsApp chat