Adiante com nosso top 5 produtos exportados em 2019, hoje o assunto é celulose.

Apesar de existir uma onda ambientalista para diminuição do uso de papel, ainda sim o Brasil exporta muita matéria prima para produção, ocupando as primeiras posições em volumes produzidos e exportados.

Como falamos no artigo sobre exportação de carne bovina, o nosso território é imenso e nosso clima é adequado para o plantio de grandes florestas, principalmente de eucaliptos, muito usados na produção da celulose.

Portanto, vamos entender um pouco mais sobre a exportação desse insumo.

Boa leitura.

Para qual finalidade exportamos?

A celulose é a matéria prima fundamental para fabricação de todo tipo de papel, seja para escrita, impressão, higiene pessoal entre outras infinidades de usos.

É um insumo que demanda grandes áreas para plantio de árvores, e muitos países principalmente na Europa não tem espaço para cultivar grandes florestas, ao passo que ainda utilizam muito papel no seu cotidiano. Nesse momento, importar do Brasil é uma ótima opção, pois nos tornamos referência na produção da celulose na última década, com alta qualidade e preço competitivo.

Por que exportamos?

Com o crescimento do mercado de produção de celulose nacional, e a alta demanda, o Brasil foi aperfeiçoando seu modo de produzir a matéria prima, criando uma estrutura cada vez mais sustentável, a fim de produzir volumes suficientes para abastecer o mercado interno e ainda se manter como um dos líderes na exportação desse insumo.

Agregando biotecnologia na área florestal e melhorando os processos, nosso país se estabeleceu no mercado internacional de celulose, se tornando uma referência no assunto. Isso gera credibilidade junto aos clientes o que consequentemente se traduz em melhores negócios, que trazem muitos lucros ao setor.

Para onde exportamos?

Você vai se cansar de ver isso nessa série, mas a realidade é que os maiores parceiros internacionais no geral, vão se repetir também nos produtos, e isso é normal.

Nosso maior comprador de celulose é a China, para onde exportamos 43% de toda nossa produção no ano de 2019, e em segundo estão os Estados Unidos, que importaram 16% desse insumo brasileiro.

A Europa também ocupa uma fatia expressiva, juntando os países Holanda, Itália, Espanha, França, Alemanha, Reino Unido e Bélgica, estes ocuparam uma fatia de 26% da exportação de celulose brasileira em 2019.

Ou seja, nesse ponto, temos parcerias consolidadas em todos os principais players do mercado exterior, e isso abre um escopo grande de oportunidades de negócios.

Conclusão

Então, vimos no artigo de hoje, que a exportação de celulose é um setor expressivo do comércio exterior brasileiro, com boas perspectivas de crescimento. É uma boa opção para que você tenha no radar da sua empresa, pois muitas são as atividades relacionadas a produção da celulose, que vão desde a venda de adubos e mudas, passando por fornecer área para plantio, chegando até ao transporte e manuseio da madeira. Cabe a você entender se há alguma atividade que seu negócio possa se encaixar e buscar mais oportunidades nesse mercado.

Para agilizar esse processo, é importante estabelecer boas relações internacionais, e esse foi um dos temas do nosso último podcast, vale a pena conferir.