Nos tempos atuais, todos os países tem se atentado mais para a sustentabilidade do planeta. Medidas para diminuir a emissão de carbono na atmosfera tem sido adotada por industrias do mundo todo.

A gigante Apple divulgou durante o lançamento do novo Iphone sua mudanças para contribuir com a medida, e a Tesla Motors tem se destacado com o carro elétrico que não deve em nada em luxo e performance para seus concorrentes.

E é claro que isso impacta diretamente no comércio exterior, uma vez que essa visão a longo prazo, irá não só pautar a forma como produzimos os insumos, mas também será um valor percebido na hora de buscar negociações de novas parcerias.

No artigo de hoje vamos entender melhor a relação da sustentabilidade com o comércio exterior.

Boa leitura.

Preservação ambiental e sanções comerciais

As lideranças dos países estão cada vez mais levando em conta a sustentabilidade antes de fazerem os acordos de livre comércio. Inclusive, recentemente o presidente da França, Emmanuel Macron, pediu que o acordo Mercosul e União Europeia fosse interrompido por conta do crescente desmatamento da Amazônia.

Ou seja, a pauta da preservação ambiental deixou de ser apenas uma manobra de visibilidade política para se tornar algo determinante para o progresso do comércio exterior brasileiro.

E isso é positivo no longo prazo, pois cria uma condição mercadológica que “força” os países a adequarem sua produção para parâmetros que garantam o uso consciente e sustentável dos recursos naturais.

Comercio exterior como locomotiva

Muitos especialistas acreditam que é exatamente no comércio exterior que as coisas podem avançar, sanções como as demonstradas acima, podem fazer com que os países entendam a necessidade de manter uma produção sustentável. A demanda será maior para produtos com certificado de produção que comprove que a emissão de gases do efeito estufa foram mínimos durante o processo de manufatura.

No entanto, para isso funcionar, será preciso um esforço do setor privado e também do Estado, para monitorar e fiscalizar as ações, a fim de manter a cadeia produtiva ativa sem agredir o meio ambiente.

Hoje em dia, o que vemos no Brasil é uma deterioração dos nossos biomas para privilegiar setores específicos, mas precisamos caminhar para uma forma de preservação que beneficie todos os setores e mantenha o meio ambiente em harmonia, com sustentabilidade que vai melhorar a imagem do país junto a seus pares no exterior, e nos dará a chance de fechar melhores acordos de comércio.

Enfim, está claro que o avanço do mercado internacional irá priorizar a produção sustentável de insumos e o uso consciente dos recursos naturais, por isso, antes de contarmos com a boa vontade dos governantes, precisamos adequar as nossas empresas a um modo sustentável de produção, e isso, além de garantir a longevidade da produção, irá agregar um valor positivo a imagem da sua marca no exterior, e isso é um ponto importante para internacionalizar seu negócio.