Quando se trata de exportação, existem muitas opções do que pode ser comercializado, desde matérias primas a serviços específicos, basta haver a demanda adequada e sua empresa pode engajar no comércio exterior.  Já falamos sobre as melhores opções para exportação de serviços, entãoa ideia agora é entender como está o mercado para aderir novos participantes.

Por alto, quando pensamos no que mais sai do Brasil para o exterior em termos de serviços, o que vem na nossa mente é relacionado ao talento. Músicos, artistas e atletas, principalmente do mundo do futebol, estão sempre desembarcando na Europa, China e hoje em dia até nos Estados Unidos. As cifras desses setores específicos são astronômicas, pois talento é subjetivo, portanto o seu valor traduzido em quantia de dinheiro é de difícil mensuração. Não tem como montar uma tabela com preços para habilidades.

Agora, acreditamos que o serviço que sua empresa presta não tenha a ver com arte ou esporte, entretanto, podemos traçar um paralelo interessante para entender o que proporciona essa alta adesão no mercado externo.

Continuando no exemplo do futebol, o que exportávamos no anos 90 eram habilidades e proficiências que só o Brasil tinha. Uma vez que nossos jogadores desembarcaram na Europa e no mundo à fora, os times perceberam que poderiam replicar alguns daqueles conceitos em seus próprios jogadores. Claro que não tem como ensinar talento, porém o método de treinamento, as técnicas de dribles e o vigor físico podem sim ser incorporados.

E podemos dizer que foram até aprimorados, basta ver os resultados dos times e seleções europeias nas últimas competições internacionais onde venceram o próprio Brasil inúmeras vezes.

Esse é o ponto principal que podemos aplicar aos seus serviços. Se sua empresa possuí um diferencial na execução que traga agilidade, qualidade ou mesmo diminua os custo de uma operação, esse atributo tem muito valor para atender demandas fora do país.

No caso de serviços pontuais, como falamos no último artigo sobre o assunto, vemos por exemplo uma crescente procura por engenheiros brasileiros, que vão ao exterior executar as mais diversas obras. Nesse caso, o contratante não tem pretensão de manter o profissional lá para incorporar os métodos dele em seu país, até porque isso custa muito mais dinheiro do que simplesmente contratar os serviços por um período específico.

Existe aquele jargão, “conhecimento é poder”, e no caso de serviços a serem exportados, conhecimento pode ser dinheiro também. Por isso outra área que tem crescido muito na exportação são as consultorias, em muitos países há a opção de diminuir custos usando mão de obra local e tendo a supervisão estratégica de um consultor estrangeiro especialista no assunto para garantir a otimização da execução de um projeto.

Portanto, se você possuí em sua empresa uma expertise que acredita ter potencial de grande adesão no exterior, é hora de se jogar no mercado com o auxílio  de um profissional de comércio exterior para cuidar da parte burocrática e você só se preocupar com a qualidade da entrega.