Quando falamos de empreender usando o comércio exterior, pensamos em internacionalizar uma marca já consolidada internamente, pois é muito incomum as empresas serem abertas com foco em trabalhar com o mercado intercional, exceto claro, importadoras e trading companys.

O nosso foco aqui, é falar com quem já empreende, e está vendo no comércio exterior uma chance de alavancar sua marca e seus lucros, porém há muitos percalços que certamente vão surgir nesse interim.

Por isso, fique com a gente, e saiba como começar a empreender no comércio exterior de forma consciente, responsável e principalmente rentável.

Boa leitura.

Comércio exterior: Por onde começar

Vamos partir do princípio que você já possui uma empresa, e sua ideia é utilizar o comércio exterior para alavancar a receita, seja com importação ou exportação. Portanto, vamos dividir as opções para entender os prós e contras de cada.

Importação: Começando pelo mais complicado, a importação não é o caminho de entrada mais rentável do comércio exterior, uma vez que a finalidade dela é trazer algo para ser comercializado aqui no país, portanto isso não cria exatamente um fortalecimento da marca junto ao mercado, cria apenas uma relação de compra.

Mesmo assim, se você tem um país em mente com o qual deseja fazer negócios no futuro, começar importando algo de lá, é uma ótima forma de fazer networking para futuramente poder exportar o seu produto ou serviço.

Inclusive, o ponto positivo de usar a importação pensando numa futura exportação, é a possibilidade de importar em regime de drawback, e assim ter um custo menor para prover um produto com preço mais competitivo no futuro.

Exportação: essa é a forma mais simples de empreender no comércio exterior, partindo do princípio que seu produto ou serviço esteja pronto, consolidado e possua um diferencial competitivo grande para fazer frente à concorrência internacional.

Pois o grande ponto é esse, ingressar no comércio exterior, é ter concorrentes no mundo todo, por isso é a manobra que exige maior assertividade, pois esse primeiro esforço para entrar no mercado internacional é o mais penoso, e qualquer percalço como incapacidade de cumprir prazos, podem manchar a marca da sua empresa para sempre.

Porém, o ponto positivo de começar com a exportação, é que o Governo Federal dispões de muitos incentivos para facilitar a vida do exportador, uma vez que a prática é benéfica para economia do país. Portanto, é menos burocrático e custoso exportar do que importar.

No entanto, seja por qual dos dois você vá ingressar, é importante o auxílio de um profissional de comércio exterior, pois assim a transição vai ser muito mais suave, assertiva e menos custosa.

No próximo artigo, vamos trazer o passo a passo para que você entenda de uma vez como empreender com o comércio exterior, fique ligado no blog e assine nossa newsletter para não perder as novidades.