Radar 2

Na última semana iniciamos nossa série sobre RADAR falando um pouco do Siscomex e você confere clicando aqui.

É muito importante que você tenha lido o artigo anterior, pois o RADAR e o SISCOMEX precisam um do outro para funcionar.

Tá, então se o SISCOMEX é o sistema que integra os três órgãos federais responsáveis pela anuência das transações internacionais, registrando todos os passos e deixando a vista de todos os envolvidos de forma digital e online, o que é o RADAR nesse processo?

RADAR é a sigla para Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros, trocando em miúdos, é a chave pessoal da sua empresa para entrar no Siscomex. É como se fosse o passaporte do seu negócio para entrar no aeroporto que é o SISCOMEX.

Já falamos de Intervenientes Aduaneiros nesse artigo aqui, mas para recapitular, intervenientes são todos os envolvidos numa transação de comércio exterior, desde o empresário que vai enviar ou receber até os órgãos do Governo Federal, que nesse caso são também anuentes. Como abordamos no artigo, pode haver muitos intervenientes ao mesmo tempo atuando em um único processo de importação/exportação, portanto imagine quão complicada e confusa é a comunicação de todas essas partes e quanto tempo leva para que todos estejam prontos para concluir a transação.

O RADAR é o responsável por agrupar todas as informações pertinentes de todos esses participantes, facilitando a entrada no SISCOMEX.

É como se todos os envolvidos no trade recebessem um convite para a mesma reunião com um inventário em mãos de tudo que precisa ser combinado. E assim todos se encontram ao mesmo tempo e todos já sabem o que precisam fazer. Ao fim da reunião, tudo está acertado e então é só aguardar que os trâmites operacionais se concluam.

Dessa forma, o RADAR é uma ferramenta poderosíssima para encurtar todos os passos burocráticos de uma transação além mar. Num simples exercício, você já consegue imaginar como era demorado o processo, uma vez que primeiro você tinha que contatar a outra parte para efetuar a compra/venda e depois ir atrás dos documentos referentes a transação daquele produto específico, e ai atrás da liberação junto aos órgãos do governo e assim chegaria à aduana. Com sorte se tudo estivesse preenchido corretamente e com todas as anuências dos intervenientes o embarque/desembarque do seu precioso produto seria iniciado.

Nesse cenário estamos falando de vários dias, que após o advento do RADAR e do SISCOMEX, foram reduzidos drasticamente.

Então, agora que você sabe o que é o RADAR e para que ele serve, se prepare que na semana que vem vamos explicar um pouco do que você precisa para conseguir sua habilitação.

Para não perder nada, já assine nossa newsletter para ser avisado quando postarmos novos conteúdos.

Até semana que vem.

CLOSE
CLOSE