Radar 1

Muita gente acaba desistindo de investir no comércio exterior por ter um receio em relação a abertura do radar na receita federal. Realmente no passado era um processo extremamente burocrático, mas ao longo dos últimos anos tem evoluído constantemente, deixando de ser um bicho papão no processo.

Por isso, vamos iniciar uma série em 4 artigos para desmistificar o radar e mostrar que sim, é possível fazer seus negócios de forma descomplicada.

Há muito tempo atrás fizemos um artigo falando mais sobre RADAR, recomendo que você confira clicando aqui.

Vamos falar por partes, o que é o radar, para que serve e as melhores formas de se executar a habilitação.

Antes de falar de RADAR é importante que você entenda o que é SISCOMEX, ou Sistema Integrado de Comércio Exterior, e nesse sistema são gerenciadas todas as operações de exportação e importação. É uma forma da Receita Federal manter o registro e controle de tudo que acontece com o comércio exterior Brasileiro.

Então, ficou claro que se você deseja fazer negócios além mar, vai necessariamente ter que estar no SISCOMEX.

É nesse ponto que o RADAR entra, habilitando sua entrada no sistema.

RADAR é a sigla para Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros e funciona como a chave para sua empresa acessar o Siscomex. E sim, empresa, pois no Brasil não é possível importar ou exportar como pessoa física para fins comerciais, toda operação de comércio exterior deve ser feita com um CNPJ regulamentado e com tudo em dia na receita.

O cálculo usado para enquadrar uma operação de comércio exterior como comercial, é a quantidade e frequência. Portanto mesmo que você deseje importar com seu CPF para testar, será em pouquíssima quantidade e talvez uma única vez, e isso não vale a pena em todos os quesitos.

Se a sua ideia é internacionalizar o seu negócio, independentemente do tamanho, saiba que terá que se submeter as diretrizes da Receita Federal para garantir a habilitação, também chamada de abertura do RADAR. Já inicie esse processo preparado para executa-lo a longo prazo, pois a experiência conta muito na hora de fazer negociações internacionais.

É importante salientar que o SISCOMEX é um sistema criado no Brasil que foi pioneiro no mundo, garantido agilidade e desburocratização dos processos. Operar internacionalmente ainda não é nenhuma brincadeira de criança, mas sua implementação representa um salto significativo na balança comercial do país. (falamos sobre balança comercial aqui, clique e saiba mais)

O SISCOMEX é administrado pela Receita Federal, pelo Banco Central e pela Secretária de Comércio exterior, e esses órgãos gestores de forma unificada acompanham o andamento de todos os trâmites do processo. Isso traz não só agilidade como transparência e segurança para todas as partes.

E a entrada para esse mundo maravilhoso é o RADAR, que vamos abordar no segundo artigo da nossa série: Desmistificando o RADAR.

Fique ligado aqui no blog e se quiser ser avisado de quanto sair conteúdos, se inscreva na nossa newsletter clicando aqui.

 

E até semana que vem.

CLOSE
CLOSE