Tambaqui

Calma, o título é confuso mas é muito verdadeiro.

Temos falado muito sobre a China por aqui, pois sua importância para o comércio internacional tem crescido em variados campos.

Atualmente, pensamos em China, pensamos eletrônicos e afins, mas vamos te mostrar que os chineses são dominantes em segmentos completamente distintos, como peixes exóticos.

Isso mesmo, a China é a maior criadora e exportadora de tambaqui, espécie originalmente encontrada na bacia amazônica.

Assim como há quase 150 anos, que o britânico Henry Wickman levou espécimes da nossa seringueira para Ásia, mudando completamente o mercado da produção de borracha mundial, a China consegue o mesmo com nossos peixes. No ocasião de Wickman, foi feito na surdina, um famoso caso de biopirataria, já os chineses importaram de maneira diferente.

Na realidade, o tambaqui foi doado em 1992 pelo então governador do Amazonas, Gilberto Mestrinho, a Deng Xiaoping na conferência da ONU que aconteceu no Rio de Janeiro naquele ano. O representante chinês saiu do nosso país com alevinos da espécie introduzindo o peixe na Ásia.

Hoje, após 27 anos de adaptação e aclimatação, o tambaqui está bem consolidado na China, e é parte importante da piscicultura do país, e sua reprodução em cativeiro é massiva e coloca a nação liderada por Xi Jinping como a maior produtora e maior exportadora do peixe no mundo.

Talvez você possa achar que isso foi ruim, pois teoricamente esse seria um segmento no qual nosso país poderia reinar absoluto. De fato, não ser o primeiro em algo que só a gente produziu por quase um século é péssimo, mas por outro lado, os avanços da piscicultura chinesa estimulou para que a nossa avançasse também.

As técnicas de reproduções em cativeiro fizeram a nossa exportação saltar de 257 toneladas em 2005 para 691.700 toneladas em 2017, não só de tambaqui, mas de outros híbridos de pacus e outras espécies nativas.

Apesar da melhora na produção e dos avanços tecnológicos, a aquicultura brasileira está longe do seu cenário ideal. Alguns entraves legais e pouco incentivo federal para o piscicultor faz com que nossa capacidade produtiva fique abaixo do possível. A atual gestão tem se mostrado positiva quanto a agricultura e seu entorno como já falamos aqui no blog, então podemos esperar um aumento na nossa exportação de peixes nativos em um futuro próximo.

Contudo, isso nos ensina que ter exclusividade sobre um produto não quer dizer necessariamente sucesso nos negócios, o processo bem feito e a entrega de forma competitiva é que faz a diferença. Então, não perca tempo segurando seu produto, se você acredita que ele tem potencial para ter boa performance no comércio exterior, procure nossa assessoriae coloque seu produto na vitrine mundial da forma mais assertiva possível.

Até porque se você não vender bem seu peixe, pode ser que alguém mais esperto o venda.

CLOSE
CLOSE