A nossa série TOP 10 País Exportadores, volta a Ásia e desembarca na Coréia do Sul.

Vamos entender mais sobre a economia sul coreana e o que coloca o país de território tão pequeno, numa posição tão alta.

Um país preparado para crises

Em meio a pandemia de coronavírus, é difícil encontrarmos um país que esteja enfrentando a situação tão bem quanto a Coreia do Sul.

O país foi o primeiro fora da China a ter um surto, e reagiu com medidas severas de confinamento, com multas de até 42 mil para quem descumprisse. Num segundo momento, o Governo sul-coreano adotou o teste em massa para controlar o avanço da doença, e a medida surtiu um ótimo efeito, podendo assim não haver uma paralização tão drástica. Porém, a Coréia do Sul segue as recomendações de distanciamento social para evitar novos surtos.

Alguns especialistas atribuem esse comportamento da população sul-coreana, ao fato de terem enfrentado uma crise de SARS há alguns anos, o que fez com que as autoridades tivessem sempre preparadas para agir em um novo surto viral.

A estratégia de se manter preparado que a Coreia do Sul utilizou, provavelmente será a tônica mundial depois da pandemia de Covid-19.

Economia forte e fenômenos globais na música

A economia sul-coreana vem em um bom crescimento nos últimos anos. O último PIB, de 2019, apresentou um crescimento de 2%. O país também detém uma elevada renda per capita e conta com um polo tecnológico muito avançando, sendo pioneiro em várias das tecnologias que estão no topo do mercado.

Porém recentemente, outro fenômeno tem levado o nome do país ao mundo. Estamos falando do K-Pop.

Este estilo seria o equivalente a música pop só que da Coréia do Sul, que tem arrastado uma legião de fãs, principalmente adolescentes, pelo mundo. O destaque de maior força comercial é o grupo BTS, que teve umas das turnês mais rentáveis de 2019, somando quase 120 milhões de dólares em bilheteria pelo mundo.

Outro produto de exportação sul coreano é o recém aclamado filme Parasita, que ao levar o Oscar de Melhor filme, direcionou novos holofotes para a indústria de cinema da Coréia do Sul.

Com tantas vertentes de arrecadação e a maneira exemplar que estão enfrentando a crise do Covid-19, temos plena convicção que economia do país performará bem nesse ano de 2020, e podemos até ver nos próximos anos, a Coréia do Sul ocupando o pódio do nosso ranking de países exportadores.

Relações comerciais com o Brasil

Além de já ter invadido nosso país com o K-pop, a Coréia do Sul também transaciona volumes expressivos com o Brasil na área de comércio exterior.

No ano passado (2019) os volumes transacionados passaram dos 8 bilhões de dólares, sendo 4.7 bilhões de dólares em importações feitas pelo Brasil, e exportamos quase 3.5 bilhões de dólares, o que nos deixou com déficit de 1.2 bilhão de dólares na balança comercial.

Os principais produtos que importamos foram válvulas e tubos muito utilizado na fabricação de eletrônicos e também compramos partes e acessórios de veículos automotivos.

Concluindo, até agora, da nossa lista de países exportadores, a Coréia do Sul parece ser o que melhor está passando pela crise do Covid-19, o que nos leva a ficar atento as possibilidades de parceria que podem surgir.

No momento, estamos de olho na situação do Brasil e o avanço do coronavírus aqui, pois temos que atacar um problema por vez. Mas, devemos sim ter uma visão mais abrangente do mercado, para poder se planejar para quando tudo isso passar. E como sempre lembramos, vai passar.

Enquanto isso, fique atento ao nosso blog para saber em primeira mão o que acontece no mundo do comex.