2020 será um ano com muitos acontecimentos e novidades, e aqui no blog da Samerica Trade, não podia ser diferente.

Por isso vamos iniciar essa série de artigos chamada Riscos e Oportunidades, onde vamos abordar o que cada país tem a oferecer de vantagens e de empecilhos para quem quer ingressar no comércio exterior.

Vamos começar por perto, aqui pelos nossos vizinhos do Uruguai.

Há alguns anos tem se discutido um acordo de comércio bilateral entre Brasil e Uruguai, para equalizar a situação, ultimamente temos saído com mais déficit do que superávit na balança comercial, por isso o Ministério da Industria e Comércio Exterior vem trabalhando para criar mecanismos que facilitem a exportação para nossos vizinhos uruguaios.

Em 2019, fechamos o ano com um superávit de mais de 1 bilhão, e a estimativa é que para 2020 esse número cresça com o aumento das exportações para o país.

No fim do ano passado o Octogésimo Protocolo Adicional foi sancionado, e ele diz o seguinte:

A partir da entrada em vigência deste Protocolo e até 31 de dezembro de 2020, gozarão de desgravação total e imediata da Tarifa Externa Comum ou de tarifas nacionais de importação, caso sejam aplicáveis, quando procedam da Zona Franca de Manaus (Brasil) e das Zonas Francas de Colônia e Nova Palmira (Uruguai), os seguintes produtos classificados em código NCM da versão do Sistema Harmonizado 2017

Trocando em miúdos, isso é uma isenção específica de tarifas bilateral que vale para alguns produtos, então se sua empresa se enquadra, pode comercializar com o Uruguai nessas condições e ter menores custos com taxas.

Outra vantagem, é o Certificado de Origem Digital (COD) que foi oficializado em 2017 e permite que os países transacionem com muito menos burocracia e de forma mais ágil, pois o que antes levava 24 horas, poderá ser executado em 30 minutos.

Lembrando que o Uruguai é integrante do Mercosul, bloco comercial da américa latina cujo Brasil faz parte, e isso por si só já é um facilitador para o relacionamento.

Os maiores riscos de buscar parcerias no Uruguai, é o fato do país ser relativamente pequeno, e tem demandas que normalmente já são supridas, o que cria uma barreira de entrada para novos exportadores.

Esses riscos não são necessariamente empecilhos para fazer negócios com o país, basta entender quais demandas podem ser melhores atendidas pelo seu produto.

As principais transações entre Brasil e Uruguai são insumos industriais, maquinaria, automóveis, equipamentos de transporte e produtos tropicais, isso no quesito exportação. Já na importação, compramos dos nossos vizinhos produtos agro-industriais de clima temperado (arroz, carne bovina, laticínios, cevada, etc)

Recentemente, também se nota um tímido, porém relevante crescimento da importação de móveis, luminária, e sapatos pelo Uruguai, o que pode indicar uma boa oportunidade de abertura de novos mercados.

Em suma, aqui apresentamos apenas um recorte superficial do mercado e da balança comercial entre os países, para que desperte em você o desejo de exportar ou importar desse país, ou te atente para algo que ainda não tinha visto. Na realidade em toda negociação haverão riscos e oportunidades, e cabe a cada empresário pesar isso para se decidir. Mas, antes disso, recomendamos fortemente que você busque a parceria de um profissional de comércio exterior, para ir mais afundo na pesquisa e apuração do que acontece no país que você tem intenção de negociar.

WhatsApp chat