Um bom dia só deve começar após uma boa xícara de café, e somos privilegiados de viver em um país com um produto de qualidade reconhecida em todo o mundo.

O café brasileiro é um item muito requisitado no comércio exterior, sendo um insumo com presença relevante no volume anual de exportação do país.

Portanto, vamos entender um pouco mais sobre os aspectos gerais da exportação de café e alguns dados sobre esse grão tão saboroso.

Boa leitura.

Da África para o Brasil

O café chegou ao Brasil em meados do século XVIII, vindo da Etiópia para o estado do Pará, e devido ao nosso clima propício, não demorou a se espalhar por vários estados e rapidamente se tornou uma das fontes de geração de riqueza para o país.

A prosperidade econômica desde a época do Brasil Império muito se deve a produção de café. Tanto que as famílias que figuram entre as mais ricas do país até hoje, muitas consolidaram seu patrimônio através do cultivo do café.

A produção do café brasileiro foi se aperfeiçoando ao longo dos anos, e já no século XX éramos referência na exportação deste insumo, tendo um produto reconhecido mundialmente pela sua qualidade e sabor marcantes.

Vale ressaltar também que o Brasil é disparado o maior produtor de café do mundo, e isso se reflete nos números que veremos abaixo.

Números e volumes

Como mencionado, a produção vem se aperfeiçoando e a reputação do café brasileiro só cresce mundo a fora.

Tanto que, no ano de 2019 tivemos um recorde com a exportação de 40,6 milhões de sacas, segundo dados levantados pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil.

Em 2020 tivemos a pandemia de Covid 19 que desacelerou a economia mundial como um todo, ainda assim a performance do café enquanto produto exportação foi muito positiva para o Brasil.

Para se ter uma ideia, foram quase 5 bilhões de dólares em exportação, referentes a cerca de 2 milhões e 300 mil toneladas de café despachadas para países de vários continentes.

Números expressivos que tendem a crescer com a esperada retomada econômica em 2021.

Um breve destaque aos principais compradores do café brasileiro:

  1. Estados Unidos
  2. Alemanha
  3. Bélgica
  4. Itália
  5. Japão

(Dados extraídos do portal Comex Stat)

Ou seja, os principais países do mundo consomem o café tipicamente brasileiro, o que é mais que suficiente para atestar a força desse insumo para a nossa economia.

Conclusão

A história do desenvolvimento econômico brasileiro e a produção do café andam de mão dadas, e o que vemos no horizonte é o grão sendo ainda mais ativo nas negociações internacionais.

Essa crescente exportação que podemos observar ao longo dos últimos anos, só deixa claro o quanto ainda vale a pena investir no cultivo e produção de café no país, visando o mercado internacional.

O café é um ótimo produto para quem quer ingressar no mercado da exportação, pois já possui um grande mercado na comunidade internacional, tem uma reputação positiva e uma demanda que a cada ano só aumenta, por isso é um insumo a se considerar para ter no portfólio.

Quanto às tecnicalidades, o café é um produto do setor agrícola, diretamente ligado ao Ministério da Agricultura, um dos setores mais fortes da economia, o que garante incentivos fiscais para exportação do mesmo.

Enfim, é um produto presente na vida de todos nós, principalmente nas manhãs, e se você deseja saber mais sobre como começar a planejar e exportar café, fale com nossos profissionais de comércio exterior que são especialistas na comercialização deste e de outros insumos.

Abrir o chat
Precisa de ajuda?