Todo mundo alguma vez na vida já comprou algo online, principalmente neste ano de 2020 onde vivemos uma pandemia.

O e-commerce nunca foi tão utilizado quanto atualmente.

Além das vendas domésticas, as compras online foram fundamentais para o crescimento e expansão do comércio exterior, e é sobre isso que vamos falar no artigo de hoje.

Boa leitura.

Da compra por correspondência as Lojas virtuais

Não é de hoje que as compras remotas estão presentes nas nossas vidas. Os clássicos catálogos como os da Avon, eram de certa forma ancestrais do e-commerce.

Televendas divulgadas por meio de infomerciais foram febre nos anos 80 e 90, onde você podia comprar por telefone de qualquer lugar do país e até fora dele, bastava possuir um cartão de crédito.

Com o advento da internet, era natural que o comércio fosse se adaptando as novas tecnologias, e assim as lojas virtuais começaram a surgir com força total.

Primeiro, as lojas tradicionais simplesmente usavam a internet como mais um canal de vendas, porém, uma ideia revolucionária que surgiu numa garagem os Estados Unidos no fim dos anos 90, mudou a forma de se fazer comércio online.

Com a criação da Amazon, um novo mundo surgiu, a partir daquele momento, as empresas entenderam que dava para vender pela internet sem necessariamente ter uma loja física.

Enfim, produtos e serviços de todo mundo, passaram a estar disponíveis na internet de forma simples e acessível a toda a população com acesso à rede mundial de computadores. E não paramos por aí, recentemente vivemos uma nova quebra de paradigma.

Liderança presencial e virtual

Já mencionamos algumas vezes por aqui quão estrondoso foi o crescimento da China no comércio exterior, e parte disso se deve a popularização dos gigantes do e-commerce chinês.

Ali Baba, Ali Express e Gear Best por exemplo, caíram no gosto do mundo todo pois ofereciam uma gama gigantesca de produtos com preços muito competitivos.

Inclusive, quando falamos de e-commerce no Brasil, a Black Friday é algo que surge no imaginário popular, nos EUA por exemplo, o volume de vendas neste dia é superior ao do Natal.

Mas para fins de comparação, o faturamento da Black Friday americana, nem se aproxima ao volume absurdo que o Ali Baba fatura num dia comum por exemplo, e isso mostra o quão grande é o e-commerce e como pode ser utilizado como uma alternativa viável para vender produtos em larga escala para o mundo todo.

O grande revés de comprar da China via e-commerce era o tempo de entrega, por muitas vezes chegavam até a 3 meses para receber uma encomenda aqui no Brasil, devido a toda burocracia alfandegária que sabemos.

Contudo, recentemente a gigante do e-commerce chinês, Ali Express tem montado centros de distribuição em vários países inclusive aqui no Brasil, diminuindo e muito o tempo de entrega de vários produtos. O que eram 3 meses antes, hoje em dia leva poucos dias dependendo do produto encomendado.

Ou seja, está claro que o e-commerce é uma ferramenta espetacular para quem quer vender internacionalmente, pois é o canal mais rápido e acessível para que seu produto ou serviço atinja potenciais clientes internacionais.

Entretanto, lembre-se que uma loja virtual funciona como um canal de vendas então as burocracias e documentações necessárias para exportar ou importar são as mesmas.

Por isso, no tradicional ou virtual, a ajuda de um profissional de comércio exterior é fundamental para que seu produto possa chegar a outros países se beneficiando de um e-commerce bem estruturado.

Conte com a assessoria da Samerica Trade e entre de vez no mundo do comércio exterior.